26.5.09

Momento (im)previsível

Eu quero um amor,
que acredite no que digo.
Aquela que saiba o valor
de minha companhia de amigo.

Mas não quero amizade
e trocar falsos olhares.
Busco a verdade
que não se encontra em todos lugares.

Aquele sentimento
renovado a cada dia.
Esse que só acolhe sofrimento
por desistir da rebeldia.

O mesmo que está em Camões
e no abraço sincero.
E o refletido para além das canções
de meus mais simples versos.

Um amor que acolhe
as diferenças.
Aquele que não discrimina.

O respeito de ser como é,
porque já me amo como sou.
E amá-la é o pouco
do que sobrou.

Esse amor ainda vai chegar
no momento mais (im)previsível.
Porque já nasce de um olhar
tão amavelmente inesquecível.

4 comentários:

Bea - Compulsão Diária disse...

Imprevisível chegada do fogo que arde sem se ver, acidente que a alma transforma. Beleza, Rômulo Camões em meio refletido aqui nesse seu Amor, que o gesto humano na alma escreve/Vivas faíscas.....
Terno poema com força do inesquecível

james p. disse...

Rômulo,ese é o amor verdadeiro,talvez.Tem razão a Bea,poema camoniano,de grande beleza.Parabéns mais uma vez,meu amigo.Abraço.

Rômulo disse...

Muito "Calmões" nessa hora, amigo James... Menos, menos...rs Espero sim ter um pouco de reconhecimento pela cultura de nosso país. Mas ninguém conseguiria escrever com tanta maestria um poema camoniano quanto o próprio Camões.

um abraço e obrigado a todos pelos comentários.

Vanessa disse...

Puxa que lindo!

Este é um comentário-convite :-). Quer participar da Leitura Coletiva em julho no Fio de Ariadne? Veja como no post: Leitura Coletiva

Bom fim de semanas