11.1.09

Onde foi que erramos?

Renato acordou com uma frase na cabeça:-Onde foi que errei? Aquilo parecia um resquício das marcas de um singelo passado. Eram chagas de uma tentativa de ser humano, mas o mundo ía na mão contrária. Na vida, somos eternos guerreiros. Às vezes o clima de competição pode acabar de forma desastrosa para os dois lados. E pensava Renato, enquanto levantava:- Onde foi que errei?
Se olhava no espelho e lembrava do que havia feito no ano anterior. Acredito que o mais difícil para alguém é a conquista de desejos simples. Renato queria alguém para compartilhar o seu cotidiano. Ele viu gente corrupta e gananciosa conseguir muito mais do que desejou. Presenciou a mentira pravalecer sobre a verdade. E, enfim, foi negado por aqueles que acreditava ser os seus amigos.
-A vida é injusta! Pensava consigo. Mas não devemos julgar ninguém e sei que a sua amargura falava mais alto naquele momento. Ligou o computador para se distrai. As mesmas pessoas em seu msn, mas algo o irritava demais. -Onde foi que errei? Frase simples que o perseguia, após a virada de ano.
Quem não já passou por uma situação assim? Há um momento em que precisamos reavaliar toda a nossa vida até o presente. A maturidade chega sem avisar! Achamo-nos tolos e acreditamos que tudo vai ser diferente. De certa forma, Renato percebia isso. Mera ilusão! Errar é um ato humano, mas ainda não aprendemos a moderar a compreensão desse erro.
Isso se chama consciência! Fernando Pessoa disse sabiamente que ela doía. No entanto, não podemos nunca fugir dela. O escritor português talvez tenha criado os seus heterônimos por tal motivo. É uma boa tática de vida transformar os seus fantasmas em personagens. Dessa forma, cria-se um certo distanciamento para entender essa pequena grande interrogativa humana: - Onde foi que errei?
Esse é um dos mistérios de um escritor legítimo. Erra quem acredita que a literatura é uma simples fuga. Entretanto, cada um sabe o que faz com a própria vida. Se Renato escrevesse, faria um texto bem diferente do meu. Para ele, o erro não estaria com a situação. Mas a autocrítica existe sempre: -Onde foi que errei?
De minha parte, quero ver um dia em que esse questionamento se pluralize. Assim, reveremos conceitos dessa sociedade que permite o impermissível e censura o que pode ser permitido.- Onde foi que erramos? Basta lembrar de tudo que acontece nesse país. Assalto, prostituição, falsidade entre grupos, uns com muitos e muitos com pouco. Enfim, enumerar várias mazelas tornou-se hábito. Talvez porque alguns não param para se perguntar a respeito de suas ações para com o outro. Renato escreve um artigo para um jornal agora sobre a situação de nosso país.
Obs.: Escrevi esse texto para abrir 2009. Sei que ele poderia ter sido melhor, mas pra começar está bom..rs

8 comentários:

Vanessa disse...

Para começar está ótimo. Onde foi que eu errei é a frase que a maioria se pergunta sempre. A tristeza é que nem sempre achamos o problema.

Beijo e se eu não desejei ainda: Feliz 2009

Nilza disse...

olá,amigo!vc descreve as coisas,com ricos detalhes ,de forma que consegui captar suas emoções ao escrever. sua amiga de ontem,no chat.Nilza.Agora tenho Orkut. nilza.delima77@gmail.com me visita qdo quizer.abraços.

Rômulo disse...

Olá, moça. Obrigado pela visita. Qto ao orkut, eu não tenho mais! rss Cansei desse mundo big brother e decidi me eliminar da "casa"..kkk Mas a gente pode continuar conversando por e-mail, que é um dos poucos meios usados por mim ultimamente. rs

um abraço

Vanessa disse...

Rômulo, estou com uma ideia para o Fio e gostaria de saber se vc topa participar, pode mandar seu email pra fiodeariadne.blog@gmail.com?

abraço

uma.pessoa_especial disse...

Caro Escritor, acredito que a interrogação que o Renato se fez, e de muitos cidadãos do mundo, as vezes, o errado é o certo e o certo e o errado, esse texto nos remete como a mesmice incomoda e que venha 2009.

Leitor e amigo

Fábio Luiz, Rio

uma.pessoa_especial disse...

Caro Escritor, agora vou voltar a postar comentários aqui.

Abraço

Fábio Luiz, Rio

Rômulo disse...

Que bom que você teve coragem de comentar no meu blog. São quinze anos de amizade, mesmo você derrapando com as suas maluquices..haha Mesmo assim, você sempre leu os meus textos anonimamente. Sempre trazendo uma opinião nova. Não havia pensado dessa forma que você colocou quando escreveu o texto. Enfim, o que quero dizer é q apareça aqui tb, Fábio. Seus comentários são importantes. Afinal, não escrevemos pra não ser lido.

té mais

Nilza disse...

Bem,caro amigo como é dificil te encontrar,rsrrs.Hoje não apreciei seus blogs, mas para deixar o smn para vc.Quem sabe vc arruma um tempo para me dar atenção! Rssrrs
nilza.delima@hotmail.com Agora vc n tem desculpas para me encontrar.Bjs estou com saudades das nossas conversas. Nilza